Alesp sedia Congresso Nacional da APSP

O 1º Congresso Nacional de Municípios, promovido pela APSP – Associação dos Prefeitos de São Paulo – em conjunto com a Assembleia Legislativa de São Paulo mobilizou representantes de vários Municípios e Estados brasileiro

Aberto às 10 horas pelo presidente da Alesp, Cauê Macris, e pelo presidente da APSP, José Ricardo Rodrigues Mattar, o Congresso recebeu prefeitos, deputados e vereadores, além de servidores municipais e convidados.

 

Macris destacou a importância do Congresso já que é a oportunidade de dos gestores públicos discutir os desafios e dividir as experiências enfrentadas pelas cidades. Trata-se de uma oportunidade de  debater as principais dificuldades enfrentadas na educação, na saúde, na iluminação e na sustentabilidade das contas públicas. Especialistas da gestão pública do governo federal e de governos estaduais explorarão as demandas dos municípios e proporão inovações para tornar a gestão mais eficiente. 

O Presidente da APSP, José Ricardo Mattar – prefeito de Igarapava, explicou que a maioria dos Municípios estão sofrendo, estão com dívidas, e sem condições de se governar mesmo tendo a frente um bom Prefeito/Prefeita. “Vivemos num sistema velho, em que na verdade tudo se arrecada no Município e vai para Brasília e daí volta para o Município a conta gota, sem condições sequer para implementar com efetividade os quase 400 programas federais existentes” comentou.

 

Em nome da Assembleia Legislativa, o deputado Itamar Borges defendeu a bandeira municipalista. “A luta dos prefeitos é árdua e necessária já que é nos Municípios onde estão os problemas. São muitos desafios enfrentados e a transformação é necessária”.

 

 

O presidente do Consórcio de Municípios da Mogiana, Francisco Dias Mançano Júnior, explicou que a mobilização dos consórcios tem sido uma saída inteligente para os Municípios. E citou que a APSP – Associação de Prefeitos de São Paulo – surgiu dentro do Consórcio que envolve mais de 1,6 milhão de pessoas. “Temos muitos assuntos para discutir junto com os demais consórcios e a luta é pelo bem estar da sociedade, já que pela renovação da política a falta de conhecimento dos novos gestores tem sido um entrave para o desenvolvimento de muitos municípios”.

 

 

Convidado para a abertura, o presidente da OAB-São Paulo, Marcos da Costa, falou da necessidade e luta da nova associação. Elogiou o trabalho de José Ricardo Rodrigues Mattar e relembrou a luta de Franco Montoro na luta pelos Municípios. “Essa luta deve continuar e ganhar forças”, lembrou.

 

O deputado Baleira Rossi, um dos incentivadores na fundação da APSP, também enfatizou as dificuldades dos municípios. “Os problemas do país estão nos Municípios e, as dificuldades dos gestores são diversas”, explicou. Porém anunciou a liberação de R$ 2 bilhões aos Municípios através da PLM1 que auxiliará todo o país.

 

Representando o governador, secretário da Agricultura, deputado federal Arnaldo Jardim, explicou que o Estado tem feito seu papel de auxílio aos Municípios paulistas, promovendo o desenvolvimento e ações capazes de oferecer maior sustentabilidade. Ele também lembrou sobre a importância do Congresso que reascende o Pacto Federativo.

 

O senador Airton Sandoval, por sua vez, lembrou durante a abertura do evento que um dos maiores incentivadores deste tipo de evento (Congresso Municipalista) foi o ex-senador e governador do Estado de São Paulo, Orestes Quércia. “Essa luta precisa ser fortalecida e ganhar apoio junto a esfera federal, uma vez que as dificuldades dos Municípios são enormes e muitos prefeitos enfrentam extremas dificuldades.

 

O deputado federal, Rodrigo Garcia, representando o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia explicou que o papel da APSP é de extrema importância pois são os prefeitos que buscam resolver os problemas que de cada comunidade. E anunciou que a crise econômica é um dos principais desafios.

 

No fechamento das discussões, o ministro Carlos Eduardo Xavier Marun, além de abordar sua ação política e defender interesses do governo federal, anunciou “não ser mais possível que prefeitos/as continuam a enfrentar os problemas no país”. Para ele é necessário a votação das reformas e buscar alternativas que possam atender as necessidades dos Municípios. “O prefeito precisa ser corajoso e além de lutar a favor de sua cidade, também vencer outras barreiras que inviabilizam o crescimento das cidades”.

Marun ainda anunciou que o BNDES estará facilitando ações para os Municípios na área de segurança.

 

 

 

 

GALERIA DE FOTOS DO CONGRESSO NACIONAL DE MUNICIPIOS 2018 - ALESP E APSP 

{gallery}/congresso2018{/gallery}